‘’Eu sou o SENHOR, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem…”.

Isaías 42.8

A busca por ser reconhecido, por ser venerado e ter uma boa reputação da sociedade é uma grande realidade do homem. Vivemos num mundo onde esta tem sido a busca das pessoas, fazem o que fazem para ser reconhecidos, querem ser lembrados, criou-se uma “necessidade” de reconhecimento, de premiação pela performance e pela existência.

No livro de Gênesis capitulo 11.4 “Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo tope chegue até aos céus e tornemos célebre o nosso nome”, o registro bíblico fala que os construtores da Torre de Babel queriam ter seus nomes reconhecidos, o desejo era tornarem-se célebres, que fossem lembrados pelo grande feito, mas Deus frustrou o planos confundindo a língua deles.

A.W.Tozer em seu livro Cinco Votos para obter Poder Espiritual, nos apresenta a quinta grande decisão que se tomarmos livraremos nossos semelhantes de sofrimento maior, promoveremos a gloria de Cristo e teremos sucesso pessoal inclusive a promoção de uma vida ilibada e santa. Assim desafio você meu leitor a tomar essa decisão:  Quinto Voto: Nunca Aceite Qualquer Glória

Deus é zeloso de Sua glória e não a dará a ninguém. Ele não irá nem mesmo compartilhar Sua glória com quem quer que seja. É muito natural, diria eu, que as pessoas esperem que talvez seu serviço cristão lhes dê uma oportunidade de demonstrar seus talentos. Verdadeiramente querem servir ao Senhor, mas também querem que os demais saibam que estão servindo ao Senhor. Elas querem ter reputação entre os santos.

Este é um terreno muito perigoso: buscar reputação entre os santos. Já é ruim o bastante procurar reputação no mundo, mas é pior procurar reputação entre o povo de Deus. Nosso Senhor desistiu de Sua reputação, e devemos fazer isso também.

Meister Eckhart certa ocasião pregou um sermão sobre a purificação que Cristo fez no templo. Disse ele: “Ora, nada havia de errado com aqueles homens que vendiam e compravam ali. Nada havia de errado em trocar dinheiro ali; aquilo tinha de ser fei­to. O pecado deles se resumia no fato de fazerem isso para ter lucro. Eles ganhavam certa porcentagem ao servirem ao Senhor”. E então Eckhart fez a aplicação: “Quem quer que sirva por uma comissão, por um pouquinho de glória que possa tirar desse serviço, é um comerciante, e deve ser expulso do templo”.

Concordo plenamente com isso. Se você está servindo ao Senhor e, quase sem perceber – talvez inconscientemente mesmo -, espera obter uma pequena comissão de cin­co por cento, cuidado! Isso irá espantar o poder de Deus de seu espírito. Você precisa determinar que nunca irá aceitar qualquer glória, mas cuidar para que Deus a receba toda.

Lutamos diariamente contra o prêmio que nossa velha natureza requer, almeja, aspira: A Glória, um apelo aos apetites do EU. Satanás no céu também desejou e acabou expulso e condenado eternamente. Deus não compartilha e nem aceita nossa concorrência para com sua glória.

Cuidado! Muitos quando fazem algo no reino de Deus confundem achando que fazem para si mesmo, se o pastor, o líder, ou ninguém citar seu nome ou dar glória a este, então decide que não fará mais.

Preste atenção! A bíblia é muito clara em 1 Coríntios 10.31 Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” . Este é o fim último de tudo que fazemos, a Glória de Deus, não a nossa, o importa é que Ele cresça e que nós, diminuamos.

Ao invés de concorrer com Deus, promova a Glória de Deus.

Pastor Vulmar Dutra de Rezende